Rafael Nadal não divide mais o posto de ‘Rei de Paris’. Nesta segunda-feira, o espanhol ganhou a final de ‘dois dias’ contra Novak Djokovic por 3 sets a 1 (6-4, 6-3, 2-6 e 7-5) - pela primeira vez desde 1973 a decisão precisou ser adiada para o dia seguinte - e se tornou o maior vencedor de Roland Garros com sete títulos, deixando para trás o hexacampeão do saibro francês, Bjorn Borg.

Desta forma, o número 2 do mundo conquista o seu 11º título em Grand Slams (além de Roland Garros em 2005, 2006, 2007, 2008, 2010, 2011 e 2012, ele venceu Wimbledon-2008 e 2010, Australian Open-2009 e US Open-2010) e se iguala como quarto maior ganhador a Rod Laver e Borg – Roger Federer lidera a lista com 16 títulos em Majors, seguido por Pete Sampras (14) e Roy Emerson (12).Roland Garros Nadal vence final de dois dias contra Djokovic

Além disso, Rafael Nadal quebra uma série de três derrotas consecutivas nas finais dos principais torneios do circuito para Djokovic (Wimbledon e US Open do a3e7a-80a8-7b217eac43b7.jpg]no passado além do Australian Open desta temporada), enquanto o sérvio perde sua primeira chance de fechar o Grand Slam, além de não bater a marca de Rod Laver, último a vencer os quatro Majors em sequência, em 1969.

O duelo Djokovic x Nadal se tornou o primeiro na história do tênis a decidir os quatro Grand Slams consecutivamente. E com a vitória em Paris, o espanhol amplia sua vantagem no retrospecto geral do confronto: são 19 vitórias (12 delas no saibro) contra 14 derrotas (2 delas na terra batida).

O ibérico também mantém a escrita de nunca ter perdido para o rival dos Balcãs em Roland Garros: além da decisão deste ano, ele ganhou nas quartas há seis anos e nas semifinais de 2007 e 2008.

O jogo

A final começou no último domingo com Nadal impondo forte ritmo nas trocas de bola e sendo agressivo o tempo inteiro. Com Djokovic pouco confortável, o espanhol abriu 3 a 0 no primeiro set com duas quebras, mas logo o sérvio se recuperou e empatou em 3 a 3. No entanto, errando muito, o número 1 do mundo cedeu outra quebra para Nadal fechar em 6 a 4.

A segunda parcial foi parecida, e o espanhol se impôs com três breaks, diante de apenas um de Djokovic, para ganhar por 6-3. A decisão foi paralisada no 5-3 e saque para Nadal, e os jogadores ficaram cerca de 30 minutos nos vestiários, o que parece ter feito bem para o atual campeão dos últimos três Grand Slams.


O número 1 do mundo errou menos, enquanto o espanhol acertou poucos winners, e fechou o terceiro set em 6-2. Djokovic, então, abriu 2 a 1 no quarto set e com uma quebra de vantagem até que a partida fosse interrompida de vez por causa da chuva, e a final só foi retomada nesta segunda-feira.

Rafael Nadal logo devolveu o break contra, e o quarto set seguiu assim até o 6-5 e saque para Djokovic: o sérvio cedeu um match-point ao espanhol, e com uma dupla falta entregou ‘de bandeja’ o título.